top of page

BRAZIL POSTS RECORD EXPORT OF 4.2 MILLION COFFEE BAGS IN APRIL


Brazil exported a record 4.222 million 60-kg bags of coffee in April 2024, surpassing the previous high set in April 2021. These shipments generated an unprecedented foreign exchange revenue of $935.3 million, marking a 53.3% increase in volume and a 52.6% rise in value compared to April 2023, according to the monthly report by the Brazilian Coffee Exporters Council (Cecafé).

Over the first ten months of the 2023/24 harvest year, Brazil’s coffee exports totaled 39.256 million bags, up 28.5% from the same period last year, with revenue increasing by 13.3% to $7.939 billion.

The record-setting trend continued in the first four months of 2024, with exports reaching 16.242 million bags, 45.6% higher than the same period in 2023. Revenue for this period hit $3.444 billion, a 42.4% increase over last year’s $2.418 billion and surpassing the previous record of $3.206 billion from January to April 2022.

“The surge in exports is largely driven by robust shipments of fresh coffees, particularly canephoras (conilon and robusta), which also achieved record performances,” said Márcio Ferreira, president of Cecafé. “This growth is due to the recovery of the 2023 harvest, enabling significant volumes of Arabica shipments and historic performances for conilon and robusta.”

The following chart builds on DataLiner-derived data to show the export volume of coffee beans from Brazil between January 2021 and March 2024.



Coffee Varieties

From January to April, Arabica coffee remained the most exported variety, with 12.469 million bags, accounting for 76.77% of total exports and representing a 31.3% increase compared to the same period last year.

Canephora exports reached 2.559 million bags, marking a 548% increase from the previous year and comprising 15.75% of total coffee exports.

Soluble coffee exports totaled 1.203 million bags, a 3.3% decrease, making up 7.41% of the total, while roasted and ground coffee exports amounted to 11,136 bags, a 26.5% decline, representing 0.07% of total exports.

“Following a record-breaking March, we achieved the highest April export volume in history for green coffees, driven by canephoras, which extended Brazil’s record in conilon and robusta shipments for the first four months,” Ferreira noted.

This exceptional performance is attributed to the international market scenario, where reduced availability of Indonesian and Vietnamese robusta coffee has allowed Brazil to fill the gap.


International Demand

Countries such as Mexico, Colombia, Vietnam, and Indonesia have been importing Brazilian coffee to meet their consumption and re-export commitments. Notably, Mexico imported 307,606 bags of Brazilian coffee between January and April, an 877% increase compared to the same period in 2023, primarily for use in their soluble coffee manufacturing.

Ferreira also highlighted the impact of the international market on revenue. “International stock markets surged in April, boosting the value of our shipments and helping to mitigate the high operational costs faced by Brazilian exporters, who continue to meet their commitments despite ongoing logistical challenges,” he said.


PORTS

The Port of Santos has maintained its position as the leading exporter of Brazilian coffee, shipping 11.386 million bags in the first four months of 2024, accounting for 70.1% of the total coffee exports.

Following Santos, the Rio de Janeiro maritime complex contributed 26.8% of the exports, sending 4.352 million bags abroad. The Port of Paranaguá (PR) shipped 144,372 bags, representing 0.9% of the total.


MAIN DESTINATIONS

The top ten buyers of Brazilian coffee have all increased their purchases in the first four months of this year. The United States remains the largest importer, receiving 2.669 million bags, a 29.4% increase compared to the same period in 2023, which accounts for 16.4% of Brazil’s total coffee exports.

Germany, holding 14.5% of the market share, purchased 2.352 million bags, marking a 64.4% rise and securing the second spot. Belgium followed with 1.671 million bags, a significant increase of 199.5%. Italy imported 1.314 million bags, up by 42.1%, while Japan received 813,817 bags, reflecting a 26.3% rise.

Notably, the United Kingdom jumped to sixth place in the ranking, importing 522,233 bags of Brazilian coffee between January and April 2024. This volume represents a substantial growth of 108.2% compared to the same period in 2023, accounting for 3.4% of the total exports.


 

BRASIL REGISTRA EXPORTAÇÃO RECORDE DE 4,2 MILHÕES DE SACAS DE CAFÉ EM ABRIL


O Brasil exportou um recorde de 4,222 milhões de sacas de café de 60 kg em abril de 2024, superando o recorde anterior estabelecido em abril de 2021. Esses embarques geraram uma receita cambial sem precedentes de US$ 935,3 milhões, marcando um aumento de 53,3% no volume e um aumento de 52,6% no valor em relação a abril de 2023, segundo relatório mensal do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Nos primeiros dez meses da safra 2023/24, as exportações de café do Brasil totalizaram 39,256 milhões de sacas, um aumento de 28,5% em relação ao mesmo período do ano passado, com a receita aumentando 13,3%, para US$ 7,939 bilhões.

A tendência recorde continuou nos primeiros quatro meses de 2024, com as exportações atingindo 16,242 milhões de sacas, 45,6% acima do mesmo período de 2023. A receita deste período atingiu US$ 3,444 bilhões, um aumento de 42,4% em relação aos US$ 2,418 bilhões do ano passado e superando o recorde anterior de US$ 3,206 bilhões de janeiro a abril de 2022.

“O aumento nas exportações é impulsionado em grande parte pelos embarques robustos de cafés frescos, especialmente canéforas (conilon e robusta), que também alcançaram desempenhos recordes”, disse Márcio Ferreira, presidente do Cecafé. “Esse crescimento se deve à recuperação da safra 2023, possibilitando volumes significativos de embarques de Arábica e desempenhos históricos de conilon e robusta.”

O gráfico a seguir baseia-se em dados derivados do DataLiner para mostrar o volume de exportação de grãos de café do Brasil entre janeiro de 2021 e março de 2024.



Variedades de café

De janeiro a abril, o café arábica manteve-se como a variedade mais exportada, com 12,469 milhões de sacas, respondendo por 76,77% do total das exportações e representando um aumento de 31,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

As exportações de Canephora atingiram 2,559 milhões de sacas, um aumento de 548% em relação ao ano anterior e representando 15,75% do total das exportações de café.

As exportações de café solúvel totalizaram 1,203 milhão de sacas, uma redução de 3,3%, representando 7,41% do total, enquanto as exportações de café torrado e moído somaram 11.136 sacas, uma queda de 26,5%, representando 0,07% do total das exportações.

“Após um março recorde, alcançamos em abril o maior volume de exportação de cafés verdes da história, impulsionado pelos canéforas, que ampliaram o recorde do Brasil em embarques de conilon e robusta nos primeiros quatro meses”, observou Ferreira.

Este desempenho excepcional é atribuído ao cenário do mercado internacional, onde a disponibilidade reduzida de café robusta indonésio e vietnamita permitiu ao Brasil preencher a lacuna.


Demanda Internacional

Países como México, Colômbia, Vietnã e Indonésia têm importado café brasileiro para cumprir seus compromissos de consumo e reexportação. Notavelmente, o México importou 307.606 sacas de café brasileiro entre janeiro e abril, um aumento de 877% em comparação com o mesmo período de 2023, principalmente para uso na fabricação de café solúvel.

Ferreira destacou ainda o impacto do mercado internacional nas receitas. “Os mercados de ações internacionais subiram em abril, aumentando o valor dos nossos embarques e ajudando a mitigar os elevados custos operacionais enfrentados pelos exportadores brasileiros, que continuam a cumprir os seus compromissos apesar dos desafios logísticos em curso”, disse ele.


PORTOS

O Porto de Santos manteve sua posição de principal exportador de café brasileiro, embarcando 11,386 milhões de sacas nos primeiros quatro meses de 2024, respondendo por 70,1% do total das exportações de café.

Depois de Santos, o complexo marítimo fluminense contribuiu com 26,8% das exportações, enviando 4,352 milhões de sacas ao exterior. O Porto de Paranaguá (PR) embarcou 144.372 sacas, representando 0,9% do total.


PRINCIPAIS DESTINOS

Os dez maiores compradores de café brasileiro aumentaram suas compras nos primeiros quatro meses deste ano. Os Estados Unidos continuam sendo o maior importador, recebendo 2,669 milhões de sacas, um aumento de 29,4% em relação ao mesmo período de 2023, o que representa 16,4% do total das exportações de café do Brasil.

A Alemanha, com 14,5% de participação de mercado, comprou 2,352 milhões de sacas, registrando um aumento de 64,4% e garantindo o segundo lugar. A Bélgica veio em seguida com 1,671 milhão de sacas, um aumento significativo de 199,5%. A Itália importou 1,314 milhão de sacas, um aumento de 42,1%, enquanto o Japão recebeu 813.817 sacas, refletindo um aumento de 26,3%.

Notavelmente, o Reino Unido saltou para o sexto lugar no ranking, importando 522.233 sacas de café brasileiro entre janeiro e abril de 2024. Esse volume representa um crescimento substancial de 108,2% em relação ao mesmo período de 2023, respondendo por 3,4% do total das exportações.




+1 (561) 221-7005

+55 (11) 99345-0077










43 visualizações0 comentário

Comments


whatsapp-transparente.png
bottom of page